O que é margem em câncer de mama?

Lesão em mama tridimensional

                                                                                                                                                                               

  

"Fiz uma cirurgia de retirada de parte da mama para tratar um câncer. Fui informada de que deverei ser operada de novo para se conseguir uma margem mais ampla e segura". Você já ouviu falar sobre isso?                                                                                                                                                                      

  

1. Um câncer de mama invasivo pode ser tratado com a retirada de parte da mama onde está a lesão?

Sim.  É conhecida como cirurgia conservadora da mama (quadrantectomia ou segmentectomia). É um tratamento seguro se bem planejado levando em consideração o tamanho e forma das mamas e o tamanho da lesão a ser tratada.

2. Retirar a mama toda e fazer a reconstrução imediata não seria mais seguro?

De fato, todos os estudos que já avaliaram isso concluem que a retirada de parte da mama com a lesão é tão segura (se indicada e realizada corretamente) quanto a retirada total da mama. 

3. Porque então ouvimos dizer que é preciso operar de novo para aumentar a margem de segurança para o tumor?

É verdade que isto ainda ocorre bastante, porém, os dados científicos confirmam que margens mais amplas não melhoram o tratamento oncológico, podendo ainda piorar o resultado estético das mamas.  

4. O que seria então uma margem considerada adequada ou segura?

O ideal é que o tumor não toque na margem de tecido mamário saudável retirado. Isso para tumores invasivos, já para os tumores chamados de “in situ”, uma margem de 2 mm do tumor é considerada segura. Porém, se no laudo após a cirurgia a margem está em 1 mm, não é recomendada nova operação para aumentá-la. Ver figura 1. 

5. Os tumores que são mais agressivos conhecidos como triplo-negativos ou os HER2 devem ser tratados com margens de segurança maiores?

Não. Isso não aumentaria a segurança do tratamento, como já evidenciado em estudos científicos que avaliaram esta questão.

6. Quando seria necessário uma nova cirurgia para retirar mais uma parte da mama (ampliar margens onde estava o tumor)?

Quando o tumor comprometer a margem do tecido mamário saudável retirado.

7. Quando a retirada total da mama seria indicada?

Em linhas gerais, quando não é possível obter margens livres em relação à lesão tumoral, por exemplo, como nestas situações:

- mamas de tamanho muito pequeno,

- lesões que acometem múltiplos setores da mama,

- uma área de lesão extensa em que a retirada de toda a lesão produz um defeito estético na mama,

- em certos casos de câncer de mama, onde existe um fator de risco genético comprovado.      

   

Figura 1. Margem + é inadequado, margens muito amplas como 1 ou 2 cm são excessivas (maior dano estético) e margens de mm ou mesmo o tumor não tocando a margem são suficientes.

Margens do tumor Tumor em relação à mama

Bibliografia consultada:

1. Moran S. M., Schnitt S. J., Giuliano, A. E., et al. Society of Surgical Oncology - American Society for Radiation Oncology Consensus Guideline on Margins for Breast Conserving Surgery with Whole Breast Irradiation in Stages I and II Invasive Breast Cancer. Int. J Radiation Oncol Biol Phys, 2014;88:553-564.

2. Morrow M., et al. Trends in Reoperation After Initial Lumpectomy for Breast Cancer. Addressing Overtreatment in Surgical Management. JAMA Oncol, Published online June 5, 2017.



Este site segue os princípios do Código de Ética Médica Brasileiro.

Responsável Técnico: Rodrigo Motta de Carvalho – CRM 52.53452-7